Quarta-feira, 19 de Outubro de 2011

Eu choro para dentro como as grutas

 

António Lobo Antunes ( 19-10-2011)



publicado por omeuinstante às 21:20 | link do post

6 comentários:
De Isabel X a 19 de Outubro de 2011 às 23:24
Conheço ALA. E tanto que ele nos conhece! Não só ele, também nós choramos para dentro como as grutas!
- Isabel X -


De omeuinstante a 20 de Outubro de 2011 às 19:49
Questões sobre a condição humana repletas de inquietações. E como diz ALA, nunca há tempo suficiente para as viver. Em cada história, na nossa história, mergulhamos na linguagem para as ultrapassar. Mas sobram sempre substractos de infinito.


De Cláudia a 22 de Outubro de 2011 às 15:11
Maria do Céu por gentileza, que data é esta 19/11/11 ao lado do nome de Lobo Antunes, é anivérsário?


De Isabel X a 22 de Outubro de 2011 às 23:05
Peço desculpa por me intrometer. A data deve ser 19 de Outubro e não de Novembro. Refere-se, sem dúvida, ao dia em que Lobo Antunes, num canal de televisão, afirmou a frase que a Céu aqui cita.
A propósito do título do livro, Mário Crespo perguntou ao escritor se ele não chorava. Ele respondeu o que se sabe.

ALA faz anos em Setembro, salvo erro no dia 1.

- Isabel X -


De omeuinstante a 30 de Outubro de 2011 às 16:33
Explicação confirmada, Isabel. Obrigada!


De omeuinstante a 30 de Outubro de 2011 às 16:29
Erros do tempo que nos distrai, Claúdia. Obrigada pela atenção.


Comentar post

443245.jpeg
Sem a música, a vida seria um erro. Nietzsche
links
posts recentes

Horizontes

Resquícios/ Amesterdão

Uma Pastelaria em Tóquio

ViK Muniz - Lixo Extraord...

VIK MUNIZ

Dominique Wolton

Da Memória: 1974 - Uma Pi...

25 de Abril - 2017

noctua - Willie Dixon, I ...

Longe dos Homens

Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Visitas
conter12
tags

arte

cinema

david mourão-ferreira

educação

estética

eugénio de andrade

fernando pessoa

filosofia

fragmentos

leituras

literatura

livros

miguel torga

música

noctua

pintura

poesia

política

quotidiano

sophia de mello breyner andresen

todas as tags

arquivos
blogs SAPO