Segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2012

Quem me roubou a minha dor antiga, 
E só a vida me deixou por dor? 
Quem, entre o incêndio da alma em que o ser periga, 
Me deixou só no fogo e no torpor? 

Quem fez a fantasia minha amiga, 
Negando o fruto e emurchecendo a flor? 
Ninguém ou o Fado, e a fantasia siga 
A seu infiel e irreal sabor... 

Quem me dispôs para o que não pudesse? 
Quem me fadou para o que não conheço 
Na teia do real que ninguém tece? 
Quem me arrancou ao sonho que me odiava 
E me deu só a vida em que me esqueço, 
“Onde a minha saudade a cor se trava ?” 

Fernando Pessoa, Cancioneiro



publicado por omeuinstante às 10:00 | link do post

443245.jpeg
Sem a música, a vida seria um erro. Nietzsche
links
posts recentes

Horizontes

Resquícios/ Amesterdão

Uma Pastelaria em Tóquio

ViK Muniz - Lixo Extraord...

VIK MUNIZ

Dominique Wolton

Da Memória: 1974 - Uma Pi...

25 de Abril - 2017

noctua - Willie Dixon, I ...

Longe dos Homens

Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Visitas
conter12
tags

arte

cinema

david mourão-ferreira

educação

estética

eugénio de andrade

fernando pessoa

filosofia

fragmentos

leituras

literatura

livros

miguel torga

música

noctua

pintura

poesia

política

quotidiano

sophia de mello breyner andresen

todas as tags

arquivos
blogs SAPO