Quarta-feira, 25 de Abril de 2012

Aquele que na hora da vitória

respeitou o vencido

Aquele que deu tudo e não pediu a paga

Aquele que na hora da ganância
Perdeu o apetite

Aquele que amou os outros e por isso
Não colaborou com a sua ignorância ou vício

Aquele que foi «Fiel à palavra dada à ideia tida»
como antes dele mas também por ele
Pessoa disse
 

 

Sophia de Mello Breyner Andresen
 



publicado por omeuinstante às 09:00 | link do post

4 comentários:
De Cláudia S. Tomazi a 25 de Abril de 2012 às 14:31
Confesso: por vezes, deparo com o espanto.


De omeuinstante a 26 de Abril de 2012 às 00:43
que seja luminoso, Claudia!


De omuroeajanela a 25 de Abril de 2012 às 22:35
Não conhecia, mas hoje nada me parece mais belo: um poema de Sophia sobre o herói da liberdade e da libertação. Um exemplo de desapego em relação ao poder, em tempos em que a política e a ética andam de costas voltadas.
Obrigada, MCeu.


De omeuinstante a 26 de Abril de 2012 às 20:32
A liberdade, construção permanente e ...janela para o futuro.
Obrigada, OR.


Comentar post

443245.jpeg
Sem a música, a vida seria um erro. Nietzsche
links
posts recentes

Uma Pastelaria em Tóquio

ViK Muniz - Lixo Extraord...

VIK MUNIZ

Dominique Wolton

Da Memória: 1974 - Uma Pi...

25 de Abril - 2017

noctua - Willie Dixon, I ...

Longe dos Homens

Herberto Helder/ Os Passo...

Relâmpago de Nada

Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
25
26
27

29
30
31


Visitas
conter12
tags

arte

cinema

david mourão-ferreira

educação

estética

eugénio de andrade

fernando pessoa

filosofia

fragmentos

leituras

literatura

livros

miguel torga

música

noctua

pintura

poesia

política

quotidiano

sophia de mello breyner andresen

todas as tags

arquivos
blogs SAPO