Domingo, 22 de Julho de 2012

Artigo de José Luís Peixoto, publicado na revista Visão de 13 de Outubro de 2011:

Um ataque contra os professores é sempre um ataque contra nós próprios, contra o nosso futuro. Resistindo, os professores, pela sua prática, são os guardiões da esperança.


Em sintonia. Guardiões do presente, sem ele não há futuro.


Aqui 



publicado por omeuinstante às 16:06 | link do post

1 comentário:
De João Coelho a 23 de Julho de 2012 às 10:07
Atacar os professores é não mais que atacar a escola no seu todo, a instrução, o ensino, a possibilidade de transmitir conhecimentos e de acordar ou alimentar espíritos críticos, atentos, capazes de ver para além do imediatamente visto.
E isto interessa a quem não quer ser atacado, a quem, podendo desmedidamente mandar, faz acontecer o seu poder de forma cega, cegando quem interessa mandar.
Podem propagandear toda a pseudopedagogia domingueira que quiserem: se atacar os professores, os alunos e, no fundo, a Escola toda, não é exercer a ditadura, então o que é exercer a ditadura?


Comentar post

443245.jpeg
Sem a música, a vida seria um erro. Nietzsche
links
posts recentes

Uma Pastelaria em Tóquio

ViK Muniz - Lixo Extraord...

VIK MUNIZ

Dominique Wolton

Da Memória: 1974 - Uma Pi...

25 de Abril - 2017

noctua - Willie Dixon, I ...

Longe dos Homens

Herberto Helder/ Os Passo...

Relâmpago de Nada

Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
25
26
27

29
30
31


Visitas
conter12
tags

arte

cinema

david mourão-ferreira

educação

estética

eugénio de andrade

fernando pessoa

filosofia

fragmentos

leituras

literatura

livros

miguel torga

música

noctua

pintura

poesia

política

quotidiano

sophia de mello breyner andresen

todas as tags

arquivos
blogs SAPO