Quinta-feira, 1 de Janeiro de 2015

 

" Benditos sejam os instantes, e os milímetros, e as sombras das pequenas coisas."

Fernando Pessoa, Livro do Desassossego

 

O excesso de luz apaga o que resta dos dias e salienta a exterioridade reinante, a superfície do universo. E nesta experiência inscrevemos a distância. Ora, só no interior de uma existência autêntica nos tornamos presentes; para o Outro, para nós.
Como refere José Tolentino Mendonça em A Mística do Instante - O tempo e a promessa, a atenção ao instante ensina-nos a ver em cada fragmento o infinito, a ouvir o marulhar da eternidade em cada som, a tocar o impalpável com os gestos mais simples, a saborear o esplêndido banquete daquilo que é frugal e escasso, a inebriar-nos com o odor da flor sempre nova (...). Um exercício de mudança, individual e colectiva, apenas possível quando se recupera a lentidão...

 

Votos de um Feliz Ano de 2015.


tags: ,

publicado por omeuinstante às 21:12 | link do post

443245.jpeg
Sem a música, a vida seria um erro. Nietzsche
links
posts recentes

Horizontes

Resquícios/ Amesterdão

Uma Pastelaria em Tóquio

ViK Muniz - Lixo Extraord...

VIK MUNIZ

Dominique Wolton

Da Memória: 1974 - Uma Pi...

25 de Abril - 2017

noctua - Willie Dixon, I ...

Longe dos Homens

Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Visitas
conter12
tags

arte

cinema

david mourão-ferreira

educação

estética

eugénio de andrade

fernando pessoa

filosofia

fragmentos

leituras

literatura

livros

miguel torga

música

noctua

pintura

poesia

política

quotidiano

sophia de mello breyner andresen

todas as tags

arquivos
blogs SAPO