Quarta-feira, 12.10.11

Uma ocorrência feliz na sala de aula levou-me o pensamento para o livro, Como um Romance, do professor e escritor Daniel Pennac.

Que espantosos pedagogos nós éramos, quando não nos preocupávamos com a pedagogia.

 




publicado por omeuinstante às 14:50 | link do post

Quinta-feira, 06.01.11

O que é uma leitura filosófica?

 

De imediato, ela não é uma leitura espontânea, no sentido de leitura habitual; vai para além do discurso da opinião.

Com ela pretende-se que o sentido do problema e o problema do sentido se cruzem duma forma problemática, interrogativa, questionante e crítica. É um processo de indagação permanente entre o texto e o leitor. Exige o diálogo hermenêutico. E, neste sentido, não é doutrina. É conhecimento.

A leitura filosófica é uma actividade e uma atitude; questionando o texto, questionamo-nos a nós.



publicado por omeuinstante às 14:00 | link do post

Quarta-feira, 01.09.10

A profissão de professor, também este um termo algo opaco, suporta todas as nuances possíveis entre, num extremo, na forma de vida rotineira e desencantada e, no outro, um elevado sentido de vocação. Compreende numerosas tipologias que vão desde a do pedagogo destruidor de espíritos à do Mestre carismático. Imersos como estamos em formas de ensino quase inumeráveis - elementar, técnico, científico, humanista, moral e filosófico - raramente nos distanciamos o suficiente para reflectir sobre as maravilhas da transmissão de conhecimentos, os recursos da falsidade e aquilo a que chamaria, à falta de um termo mais preciso e concreto, o mistério da função.

George Steiner, As Lições do Mestre, Gradiva, 2005, pp11

A análise, das relações entre mestre e discípulo, converte-se numa Lição.

Explicação simplificada - diz Steiner - do cruzamento dos eixos do tempo sobre a problemática do ensino e da aprendizagem.

Acentua a marca de transmissão de conhecimentos.

Recorda a etimologia da palavra transmissão (tradendere). Relaciona-a com a de traditio (o que foi transmitido) e com as de traição e tradução.

Salienta, de forma magistral, que a forma mais honesta de autoridade didáctica se faz através do exemplo.

E que o ensinamento é acção e silencioso; e oralidade.

Aqui o Mestre fala.

Não há ofício mais privilegiado. É trans-missão.

Re-comecemos a Lição.



publicado por omeuinstante às 10:00 | link do post

443245.jpeg
Sem a música, a vida seria um erro. Nietzsche
links
posts recentes

Como um Romance

Da leitura Filosófica

A lição

Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
25
26
27

29
30
31


Visitas
conter12
tags

arte

cinema

david mourão-ferreira

educação

estética

eugénio de andrade

fernando pessoa

filosofia

fragmentos

leituras

literatura

livros

miguel torga

música

noctua

pintura

poesia

política

quotidiano

sophia de mello breyner andresen

todas as tags

arquivos
blogs SAPO