Quarta-feira, 13.08.14

 

Morre, aos 63 anos, o actor Robin Williams (21 de julho de 1951-11 de agosto de 2014).

 

 

 

 

Ó Capitão! meu Capitão! Finda é a temível jornada,
Vencida cada tormenta, a busca foi laureada.
O porto é ali, os sinos ouvi, exulta o povo inteiro,
Com o olhar na quilha estanque do vaso ousado e austero.
Mas ó coração, coração!
O sangue mancha o navio,
No convés, meu Capitão
Vai caído, morto e frio.

Ó Capitão! meu Capitão! Ergue-te ao dobre dos sinos;
Por ti se agita o pendão e os clarins tocam teus hinos.
Por ti buquês, guirlandas… Multidões as praias lotam,
Teu nome é o que elas clamam; para ti os olhos voltam,
Capitão, querido pai,
Dormes no braço macio…
É meu sonho que ao convés
Vais caído, morto e frio.

Ah! meu Capitão não fala, foi do lábio o sopro expulso,
Meu calor meu pai não sente, já não tem vontade ou pulso.
Da nau ancorada e ilesa, a jornada é concluída.
E lá vem ela em triunfo da viagem antes temida.
Povo, exulta! Sino, dobra!
Mas meu passo é tão sombrio…
No convés meu Capitão
Vai caído, morto e frio.

 

Walt Whitman

 

 

 



publicado por omeuinstante às 13:53 | link do post

Sexta-feira, 18.05.12

Não deixes que termine o dia sem teres crescido um pouco, 
sem teres sido feliz, sem teres aumentado os teus sonhos. 
Não te deixes vencer pelo desalento. 
Não permitas que alguém retire o direito de te expressares,
que é quase um dever. 
Não abandones as ânsias de fazer da tua vida algo extraordinário. 
Não deixes de acreditar que as palavras e a poesia podem mudar o mundo. 
Aconteça o que acontecer a nossa essência ficará intacta. 
Somos seres cheios de paixão. 
A vida é deserto e oásis. 
Derruba-nos, ensina-nos, converte-nos em protagonistas de nossa própria história. 
Ainda que o vento sopre contra, a poderosa obra continua: 
tu podes tocar uma estrofe. 
Não deixes nunca de sonhar, porque os sonhos tornam o homem livre.

 

Walt Whitman



publicado por omeuinstante às 14:15 | link do post

Quinta-feira, 20.01.11

Esta manhã, antes do alvorecer, subi numa colina para admirar o céu povoado,

E disse à minha alma: Quando abarcarmos esses mundos e o conhecimento e o prazer que encerram, estaremos finalmente fartos e satisfeitos?

E minha alma disse: Não, uma vez alcançados esses mundos prosseguiremos no caminho.

 

Walt Whitman

 


 



publicado por omeuinstante às 10:10 | link do post

Terça-feira, 04.01.11

Oh eu, oh vida
Das perguntas sempre iguais
Dos interminaveis comboios de descrentes
Das cidades a abarrotar de idiotas
O que há de bom no meio disto?
Estás aqui
A vida existe e a identidade
A pujante peça continua
E podes contribuir com um verso


Walt Whitman



publicado por omeuinstante às 19:08 | link do post

Terça-feira, 07.12.10

 

(...)

Ouvi o murmúrio das ondas e da areia como se quisessem

felicitar-me,

Porque aquele a quem mais amo dormia a meu lado sob a mesma

manta na noite fresca,

Na quietude daquela lua de outono o seu rosto inclinava-se para

mim,

E o seu braço repousava levemente sobre o meu peito - nessa

noite fui feliz.

 

Walt Whitman, Cálamo, Assírio & Alvim,1993, p 43



publicado por omeuinstante às 12:00 | link do post

Segunda-feira, 15.11.10

Carpe diem, rapazes, tornem as vossas vidas extraordinárias!(...)

Quero revelar-vos um segredo. Aproximem-se. Não lemos e escrevemos poesia só porque é giro; lemos e escrevemos poesia porque fazemos parte da raça humana. E a raça humana está impregnada de paixão.

Medicina, direito, gestão, engenharia são nobres actividades necessárias à vida.

Mas a poesia, a beleza, o romance, o amor são as coisas que nos fazem viver.

 

Extraído do filme, O Clube dos Poetas Mortos

Outro dizer


Apanha os botões de rosa enquanto podes

O tempo voa

E esta flor que hoje sorri

Amanhã estará moribunda

 

Walt Whitman


 




publicado por omeuinstante às 15:57 | link do post

Sexta-feira, 03.09.10

Não escarneço nem refuto, testemunho e espero.

Walt Whitman, Canto de Mim Mesmo



publicado por omeuinstante às 14:52 | link do post

Quarta-feira, 14.07.10

O escandaloso poeta e jornalista americano Walt Whitman (1819-1892) está entre os eleitos.

É um poeta do canto do corpo, da carne e da alma. Com ele ouvimos vozes libidinosamente proibidas mas diáfanas.

Poesia onde o que é insignificante vale tanto como o resto: uma folha de erva não vale menos que a jornada das estrelas.

Ascensão em verso livre do não-poético.

I

Celebro-me e canto-me,

E aquilo que assumo tu deves assumir,

Pois cada átomo que a mim pertence a ti pertence também.


Vagueio e convido a minha alma,

À vontade vagueio e inclino-me a observar a erva do Verão.

A minha língua, cada átomo do meu sangue, composto deste solo, deste ar,

Aqui nascido de pais aqui nascidos de outros pais nascidos, e dos seus pais também,

Eu, aos trinta e sete anos, de perfeita saúde começo,

Esperando que só a morte me faça parar.


Suspensos os credos e as escolas,

Retiro-me por certo tempo, deles saturado mas não esquecido,

Sou o porto do bem e do mal, e seja como for falo,

Natureza sem obstáculos com a sua energia original.


Walt Whitman, Canto de Mim Mesmo, trad. José Agostinho Baptista, Assírio e Alvim,1992, pág 9



publicado por omeuinstante às 18:01 | link do post

443245.jpeg
Sem a música, a vida seria um erro. Nietzsche
links
posts recentes

Botões de Rosa

Não Deixes

Alvorada

Oh eu, Oh Vida

Do Murmúrio

Sob Condição

Simples

Erva

Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
25
26
27

29
30
31


Visitas
conter12
tags

arte

cinema

david mourão-ferreira

educação

estética

eugénio de andrade

fernando pessoa

filosofia

fragmentos

leituras

literatura

livros

miguel torga

música

noctua

pintura

poesia

política

quotidiano

sophia de mello breyner andresen

todas as tags

arquivos
blogs SAPO