Sábado, 31 de Março de 2012

ó subalimentados do sonho!

a poesia é para comer.

 

Natália Correia



publicado por omeuinstante às 17:40 | link do post

Quinta-feira, 29 de Março de 2012

O que humanamente designamos por mal é universal e absoluto; o bem existe de um modo provisório e temporário. O mal é ontologicamente primário, o bem secundário, ôntico. Sobre estas questões nos fala Miguel Real em Nova Teoria do Mal. Ainda a ler.



publicado por omeuinstante às 15:53 | link do post

Segunda-feira, 26 de Março de 2012

O inconsciente é um rio de areias profundas onde o conhecimento não entra. 



publicado por omeuinstante às 18:57 | link do post

Eu, Ariadne,
caminho no que teço,

no que vomito

da naúsea de fiar

os novelos exactos.


Myriam Fraga, Labirinto 



publicado por omeuinstante às 18:52 | link do post

Segundo a mitologia grega, é filha de Minos, rei de Creta. Apaixonada por Teseu, ajuda-o a descobrir o caminho no labirinto em que se encontrava o Minotauro, oferecendo-lhe um novelo de fio que ele desenrolou, conseguindo regressar.

 

 Ariadne em Náxos- pintura de John William Waterhouse (escola inglesa do século XIX)


tags: ,

publicado por omeuinstante às 18:00 | link do post

Sexta-feira, 23 de Março de 2012


publicado por omeuinstante às 20:46 | link do post

Na Antiguidade clássica, os primeiros mestres, itinerantes, foram vistos de forma misteriosa e escutados em silêncio sabedor. Hoje, os silêncios são de outra natureza.
Encimei o post com um título respigado no blogue De Rerum Natura.
 

Aqui  e Aqui



publicado por omeuinstante às 18:19 | link do post

Toulouse-Lautrec(1864-1901), pintor francês pós-impressionista, frequentador assíduo do Moulin Rouge e de outras noites, foi um boémio infindo. Sem espanto. Porque os ângulos do olhar são diversos e o real retrai-se ou expande-se conforme os territórios da imaginação. 
Gosto deste jeito convulso de procura da verdade; ainda que a do olhar.

A feiúra, onde quer que esteja, tem sempre um lado belo; é fascinante descobrir beleza onde ninguém a consegue ver.   



publicado por omeuinstante às 14:15 | link do post

Quinta-feira, 22 de Março de 2012



publicado por omeuinstante às 20:30 | link do post

 

Um homem que tem como "loucura" a "leveza", oferece, em palavras, a âncora da amizade. Há mais de vinte anos, encontramo-nos na borda do cais, pedra que nos fixa ao topo, e, em cada partida, renovamos o tempo da esperança.
Falo do Nuno, e vejo-o, através do seu belo "Auto-retrato". 

 

 

Sou,

mas a minha paixão é aquilo

que não sou

se pelo ser rastejo sinuoso no pó

dorso horizontal de réptil

pelo não ser o meu corpo de águia

anseia pela carícia das estrelas

e as neves sempre renovadas

de inauditos himalaias

se o peso é o meu destino

a leveza é a minha loucura

a minha doença são os cais

se fico gostaria de não ficar

ir nos comboios que partem e nos 

outros que faço partir

que itinerário o do meu sonho?

viagem a uma geografia interior e arenosa

ao espaço exacto entre o cais e a partida

que os dedos azuis do sonho esboçam e anulam

quem sou eu?

que labirinto percorre o meu desejo?

hei-de perguntar ao vento.

 

Nuno Pinto



publicado por omeuinstante às 13:10 | link do post

Quarta-feira, 21 de Março de 2012

Não me prendo a nada que me defina. Sou companhia, mas posso ser solidão; tranquilidade e inconstância; pedra e coração. Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono. Música alta e silêncio. Serei o que você quiser, mas só quando eu quiser. Não me limito, não sou cruel comigo! Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer...
Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato. Ou toca, ou não toca.

 

Clarice Lispector



publicado por omeuinstante às 12:20 | link do post

Terça-feira, 20 de Março de 2012
(…) dignidade (…) quando uma coisa está acima de qualquer preço.

Kant


publicado por omeuinstante às 21:34 | link do post

Domingo, 18 de Março de 2012

Não tenho deuses. Vivo 

Desamparado. 
Sonhei deuses outrora, 
Mas acordei. 
Agora 
Os acúleos são versos, 
E tacteiam apenas 
A ilusão de um suporte. 
Mas a inércia da morte, 
O descanso da vide na ramada 
A contar primaveras uma a uma, 
Também me não diz nada. 
A paz possível é não ter nenhuma. 

Miguel Torga, in Penas do Purgatório



publicado por omeuinstante às 14:19 | link do post

Voltamos sempre ao princípio. Daí partem as grandes viagens e arquitectamos, entre o arvoredo e as raízes, a solidez do nada. Impressões de um domingo, em passo lento.



publicado por omeuinstante às 13:55 | link do post

Sábado, 17 de Março de 2012

A chuva deste sábado tem cheiro a primavera.



publicado por omeuinstante às 13:11 | link do post

Sexta-feira, 16 de Março de 2012



publicado por omeuinstante às 20:30 | link do post

E de súbito desaba o silêncio.
É um silêncio sem ti,
sem álamos,
sem luas.

Só nas minhas mãos
ouço a música das tuas.

Eugénio de Andrade



publicado por omeuinstante às 09:00 | link do post

Quinta-feira, 15 de Março de 2012


publicado por omeuinstante às 20:30 | link do post

Não é suficiente ter o espírito bom, o principal é aplicá-lo bem, escreve Descartes no seu famoso Discurso do Método. E aplicá-lo com simplicidade, sinal de verdadeiro.



publicado por omeuinstante às 19:33 | link do post

Quarta-feira, 14 de Março de 2012


publicado por omeuinstante às 20:47 | link do post

443245.jpeg
Sem a música, a vida seria um erro. Nietzsche
links
posts recentes

Procida

A Sociedade do Cansaço

Ficções do interlúdio

As Noites Afluentes

A Árvore Dos Tamancos

Futuros Distópicos

Fragmento do Homem

No espaço vazio do tempo ...

A Nova Ignorância

Dia das Mulheres

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

17
18
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


tags

arte

cinema

david mourão-ferreira

educação

estética

eugénio de andrade

fernando pessoa

filosofia

fragmentos

leituras

literatura

livros

miguel torga

música

noctua

pintura

poesia

política

quotidiano

sophia de mello breyner andresen

todas as tags

arquivos

Junho 2019

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Janeiro 2018

Outubro 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

blogs SAPO