Segunda-feira, 15 de Novembro de 2010

Carpe diem, rapazes, tornem as vossas vidas extraordinárias!(...)

Quero revelar-vos um segredo. Aproximem-se. Não lemos e escrevemos poesia só porque é giro; lemos e escrevemos poesia porque fazemos parte da raça humana. E a raça humana está impregnada de paixão.

Medicina, direito, gestão, engenharia são nobres actividades necessárias à vida.

Mas a poesia, a beleza, o romance, o amor são as coisas que nos fazem viver.

 

Extraído do filme, O Clube dos Poetas Mortos

Outro dizer


Apanha os botões de rosa enquanto podes

O tempo voa

E esta flor que hoje sorri

Amanhã estará moribunda

 

Walt Whitman


 




publicado por omeuinstante às 15:57 | link do post

1 comentário:
De Raquel a 15 de Novembro de 2010 às 19:39
Esquecemos essa verdade todos os dias, como se a imortalidade fosse uma propriedade da vida.


Comentar post

443245.jpeg
Sem a música, a vida seria um erro. Nietzsche
links
posts recentes

Fragmento do Homem

No espaço vazio do tempo ...

A Nova Ignorância

Dia das Mulheres

Dia Internacional da Mulh...

Noctua - Schubert

Do Risco Existencial

Horizontes

Resquícios/ Amesterdão

Uma Pastelaria em Tóquio

Abril 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


tags

arte

cinema

david mourão-ferreira

educação

estética

eugénio de andrade

fernando pessoa

filosofia

fragmentos

leituras

literatura

livros

miguel torga

música

noctua

pintura

poesia

política

quotidiano

sophia de mello breyner andresen

todas as tags

arquivos
blogs SAPO