Quinta-feira, 25.11.10

Os versos

 

Os versos assemelham-se a um corpo

quando cai

ao tentar de escuridão a escuridão

a sua sorte

 

Nenhum poder ordena

em papel de prata essa dança inquieta.

 

José Tolentino Mendonça, Baldios, Assírio & Alvim, 1999, p9



publicado por omeuinstante às 08:00 | link do post

443245.jpeg
Sem a música, a vida seria um erro. Nietzsche
links
posts recentes

Como um Corpo

Junho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


tags

arte

cinema

david mourão-ferreira

educação

estética

eugénio de andrade

fernando pessoa

filosofia

fragmentos

leituras

literatura

livros

miguel torga

música

noctua

pintura

poesia

política

quotidiano

sophia de mello breyner andresen

todas as tags

arquivos
blogs SAPO