Segunda-feira, 08.11.10

Amo devagar os amigos que são tristes

com cinco dedos de cada lado.

Os amigos que enlouquecem

e estão sentados,

fechando os olhos,

com os livros atrás a arder

para toda a eternidade.

 

Não os chamo,

e eles voltam-se profundamente

dentro do fogo.

- Temos um talento doloroso e obscuro.

Construímos um lugar de silêncio.

De Paixão.

 

Herberto Helder, Aos Amigos, in Revista Inútil



publicado por omeuinstante às 10:02 | link do post

443245.jpeg
Sem a música, a vida seria um erro. Nietzsche
links
posts recentes

Aos Amigos

Junho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


tags

arte

cinema

david mourão-ferreira

educação

estética

eugénio de andrade

fernando pessoa

filosofia

fragmentos

leituras

literatura

livros

miguel torga

música

noctua

pintura

poesia

política

quotidiano

sophia de mello breyner andresen

todas as tags

arquivos
blogs SAPO